O Efeito Lindy e o Trade Marketing

Por que os produtos tradicionais, as grandes marcas consolidadas no mercado, tendem a ganhar cada vez mais força tornando muito difícil o trabalho da concorrência mais nova?

Você já notou como as marcas que estão há décadas na praça trazem consigo um “peso” que impacta o consumidor e garante mais vendas? As centenárias então, muito mais. O Efeito Lindy explica isso.

A teoria – que vale para muitos segmentos – diz que, quanto mais exposição no passado, maiores as chances de exposição no futuro. Por isso que está no mercado há muito tempo teria – em tese – vantagem em relação a concorrência.

Mas será que é simples assim e pronto? Nem tanto. Vamos analisar esse conceito e ver como o Trade Marketing pode tirar insights sobre ele.   

A origem do Efeito Lindy

O Efeito Lindy surgiu com um artigo do autor Albert Goldman publicado em 1964 no jornal The New Republic, chamado Lindy´s Law (a lei de Lindy, literalmente). O texto fazia referência a um bar e restaurante de Nova York no qual se apresentavam comediantes, o Lindy´s. Segundo o Goldman, quanto mais tempo de estrada do artista, maiores seriam suas chances de continuar trabalhando e sendo conhecido. Assim, suas chances de sucesso seriam proporcionais à sua exposição no passado.

Lindy’s Deli and Restaurant on Broadway and West 51st Street, New York City, circa 1940. (Photo by Michael Ochs Archives/Getty Images)

A tese de Goldman era puramente baseada em observação. Em 1984, o matemático polonês Benoit B. Mandelbrot deu um embasamento teórico para o conceito em sua obra Fractals and Scaling in Finance e o Efeito Lindy passou a ser observado em diversos segmentos.

Em 2007, o também matemático e estatístico libanês Nassim Taleb retomou a teoria em seu best-seller, A Lógica do Cisne Negro e acrescentou um fator importante: conceito de coisas perecíveis e não perecíveis. Hoje, considera-se que a teoria é válida para o que não é perecível, como ideias, tecnologia, etc. e não se aplica à pessoas (como na sua origem), pois pessoas morrem, podem perder suas habilidades, etc.

Porque o Efeito Lindy funciona

Deixando a matemática de lado um pouco, podemos dizer que o Efeito Lindy deve ser levado em conta porque está relacionado a elementos culturais e comportamentais.

Isso porque elementos não perecíveis vão ganhando credibilidade e confiança ao longo do tempo na medida em que são testados e  avaliados positivamente com frequência. É como se cada dia a mais na história desse elemento contasse como um ponto positivo.

Assim, se um produto está vendendo bem há 10 anos, cada dia que passa se torna mais sólido e com chances de continuar vendendo bem. Uma ideia aceita há muito tempo, tende a sempre servir de base para outras ideias, mantendo-se viva e relevante.  

Já um elemento perecível, que um dia vai acabar naturalmente, não conta com a mesma força. Ao contrário, cada dia é um dia mais perto do fim. O esporte é um campo que pode trazer exemplos dos dois casos. Os atletas, por melhores que sejam, são perecíveis. Com o tempo terão queda de desempenho e verão o fim de suas carreiras.

As regras dos esportes, assim como a estrutura e os materiais esportivos não têm prazo de validade e podem sempre se tornarem mais sólidas, mais eficientes e melhores.

A “pegadinha” por trás do Efeito Lindy

Neste ponto é possível pensar: então basta ser um elemento não perecível e se manter um tempo no mercado para ter garantia de sucesso? A resposta é não.

O Efeito Lindy é um sinalizador, um conceito para apontar rapidamente o potencial de algo (produto, marca), mas o fator tempo deve ser apenas uma das métricas para avaliar esse potencial, só que não pode ser o único. Outro ponto importante é a capacidade de se manter atual e relevante.

Uma marca, produto ou um conceito só se mantem por muito tempo se continuar sendo relevante para quem o consome ou utiliza. Por isso inovar é importante. Já notou como grandes marcas passam por processos de rebranding de tempos em tempos e mesmo produtos tradicionais têm suas fórmulas revistas e embalagens redesenhadas?

Faça um teste prático e – essa semana – comece a observar a relação entre tempo e desempenho dos produtos com você vende ou compra, dos pontos de venda que frequenta, dos parceiros com os quais trabalha, etc. Com certeza você vai encontrar pontos que justificam o sucesso de alguns deles.

Depois, deixe seus comentários no final deste artigo ou nas redes sociais!

Conheça a Trade Marketing Force

A Trade Marketing Force é a mais completa plataforma de gestão de Trade Marketing e Vendas do mercado nacional. É também o mais eficiente aplicativo de gestão de campo do Brasil.

A TMF diminui a distância entre toda a cadeia de suprimentos e a indústria, dinamiza processos, organiza resultados e facilita a apuração de dados. Assim, traz agilidade, criando uma indústria 4.0 alinhada com as melhores práticas de BPM e gerando transparência para seus clientes e fortalecendo a relação com a equipe.

Acesse nosso site e conheça todas as funções da plataforma e do aplicativo. Com certeza, alguns dos nossos serviços atendem sua necessidade.

Acompanhe também o nosso blog, que toda semana traz artigos sobre Trade Marketing e temas relacionados a esse universo, e nos siga nas redes sociais. Estamos no Facebook, no LinkedIn e no Instagram com conteúdo diário sobre o mercado para você ficar atualizado.

Trabalhe com segurança!

Até a semana que vem!


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.