Resenha: SAD THEORY “Entropia Humana Final” – Metal na Lata

Banda curitibana formada inicialmente em 1998 e já consagrada no underground nacional, o Sad Theory dá mais um passo a frente em sua já rica discografia. “Entropia Humana Final”, lançado no finzinho do ano passado, é o sexto disco da carreira dos caras.

Se você não conhece o som dos paranaenses, o primeiro riff, nos primeiros 15 segundos de play, vai ser suficiente pra te ganhar. Falo por experiência própria. “Willard Suitcases” abre o disco com uma pegada que vai te remeter aos bons tempos do Thrashão oitentista e do surgimento do Death Metal.

E a partir daí a banda segue destilando talento, técnica e punch, numa sonoridade rasgada, direta mas muito bem trabalhada, que faz um misto de Death técnico/progressivo e melódico, com lindas linhas e solos de guitarra e uma cozinha rápida e certeira. Os vocais, como não podia deixar de ser, são guturais e cheios de groove. As letras são em português e com temas bastante densos, seguindo a tradição da banda.

Além da já mencionada faixa de abertura, as que mais me empolgaram foram “Maestro”, em que o trabalho das guitarras beira a perfeição, e “A Cadela de Buchenwald” (uma referência ao campo de concentração nazista), uma paulada na orelha com harmonias muito bem elaboradas. Outro destaque é “Occipício”, cujo miolo instrumental é Prog puro. De qualquer forma, o disco mantém o alto nível o tempo todo.

Um lançamento e uma banda que definitivamente merecem sua atenção!

Nota: 8,5
Luiz Gustavo Santos

http://metalnalata.com.br/site/sad-theory-entropia-humana-final-2017/

por Tersis Zonato