Resenha: LUTEMKRAT “Circumscribed…” – Diário Catarinense

Composições bem elaboradas, mas sem preocupação com a qualidade da gravação, queima de igrejas, assassinatos e suicídios fizeram com que os olhos do mundo se voltassem para a Noruega do início dos anos 1990. Esse movimento não possuía bandas, e sim hordas (apropriado, não?), foi batizado como black metal, e sua música – e também alguns atos questionáveis – se espalhou e tomou várias formas ao longo dos anos, por todo o planeta.

Como não poderia deixar de ser, muitos músicos do Brasil se identificaram com o extremismo musical e ideológico do país nórdico. Em meio a essa onda, 2002 foi o ano em que o paranaense Lutemkrat surgiu, se caracterizando por ser um projeto de um homem só capitaneado por Wolf Lutemkrat, que estreou com The Last Survivor em 2007 pelo selo canadense Bleak Art.

Além deste primeiro álbum, em sua trajetória o Lutemkrat liberou os EPs Never Surrender (2003) e Visions From Dimensions Beyond Conception (2011), e várias outras faixas que nunca encontraram espaço em discos físicos. E é todo esse material que fez com que Wolf lançasse mão do financiamento coletivo (crowdfunding) para seu novo trabalho.

Compilado sob o nome Circumscribed In A World Of Senses, a natureza do repertório é extremamente diversificada, com eventuais arranjos acústicos, covers (Violence And Force, do cultuado Exciter, ficou incrível), mas sustentando o foco na brutalidade e na necessária vibração gélida, mantendo muito da pureza dos primórdios do black metal.

Além de o áudio ser bem definido, o projeto gráfico em digipak é belíssimo e com as informações tão bem organizadas que deveriam servir de exemplo às gravadoras que insistem em lançar coletâneas com encartes vazios. Circumscribed In A World Of Senses é uma obra não somente indicada aos que apreciam a vertente mais perversa da música extrema, mas indispensável aos misantropos. lml

*Ben Ami Scopinho está há mais tempo em Floripa do que passou em sua terra natal, São Paulo. Ilustrador e designer no DC, tem como hobby colecionar vinis e CDs de hard rock e heavy metal. E vez ou outra também escreve sobre o assunto.

Ben Ami Scopinho

*Ben Ami Scopinho está há mais tempo em Floripa do que passou em sua terra natal, São Paulo. Ilustrador e designer no DC, tem como hobby colecionar vinis e CDs de hard rock e heavy metal. E vez ou outra também escreve sobre o assunto.

http://dc.clicrbs.com.br/sc/entretenimento/noticia/2016/10/lutemkrat-a-perversa-introspeccao-da-musica-extrema-8033061.html

Esse registro foi postado em Mídia e marcado . 17 visualizações

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *